NADO SICRONIZADO

03-11-2010 13:51

Este esporte é a mais nova das modalidades olímpicas de piscina. Trabalha sincronizando os movimentos do corpo com a água e a música. É um esporte dos mais complexos, pois nele se misturam movimentos de dança e natação, utilizando todas as articulações em uma sincronia de graça e força.

O Nado Sincronizado é disputado sob três formas: solo (um atleta), dueto (dois atletas) e conjunto (quatro a oito atletas).

Conheça um pouco mais sobre este esporte que tem como resultado um espetáculo de muita beleza.

História

A origem do Nado Sincronizado é o Ballet Aquático, também conhecido como Natação Rítmica, no entanto, o ballet não era considerado esporte porque deixava de lado a técnica para priorizar a plasticidade dos movimentos. Com o tempo foi surgindo a necessidades de aperfeiçoamento para que as coreografias ficassem cada vez melhor executadas.

O Nado Sincronizado entrou para as Olimpíadas nos Jogos de Los Angeles, em 1984, apenas com apresentações de solo e dueto. O Brasil foi representado pelas irmãs Paula e Tessa Carvalho. O mesmo tipo de apresentações continuou nos Jogos de Seul (1988) e de Barcelona (1992).

Em 1996, ocorreu uma mudança. Um Pré Torneio Olímpico selecionou apenas oito países e a competição passou a ser apenas por equipes. O Brasil ficou fora dessa olimpíada, pois a equipe não conseguiu classificação na seletiva realizada no ano anterior.

As equipes brasileiras continuaram crescendo e progredindo, e hoje detêm a liderança em toda a América do Sul.

Conheça alguns movimentos e posições

Flamingo - o rosto fica na superfície, uma perna fora da água a 90º em relação à superfície e a outra flexionada junto ao peito (também pode estar submersa).

Dolfinho - de costas, a nadadora afunda e faz um movimento em circunferência até o corpo todo alcançar a posição inicial.

Giros - na posição vertical, de ponta-cabeça, podem ser em meia volta (180º), completo (360º) e twirl (meia volta rápida). O eixo longitudinal não se altera e os joelhos se mantêm na superfície.

Parafuso - Semelhante ao giro, só que com o corpo em movimento vertical, para cima ou para baixo.

Cancã - posição de costas, com uma das pernas estendida a 90º em relação ao corpo. Na versão submersa, o nível da água fica entre o joelho e o tornozelo.

Carpada - Quadris flexionados num ângulo de 90º, as pernas ao nível da superfície e a cabeça para baixo.

Categorias

· Infantil A: 9 e 10 anos
· Infantil B: 11 e 12 anos
· Juvenil A: 13 e 14 anos
· Juvenil B: 15,16 e 17 anos
· Sênior: acima dos 18 anos

O que é trabalhado neste esporte

· Flexibilidade e alongamento;
· Força;
· Resistência;
· Estilo;
· Leveza;
· Carisma;
· Interpretação;
· Velocidade;
· Controle respiratório;
· Ritmo;
· Consciência corporal;
· Domínio sobre a água;
· Coordenação;
· Aumento da capacidade aeróbica e anaeróbica;
· Melhora da amplitude articular;
· Melhora da resistência cárdio-respiratória;
· Endurence muscular.

Fonte: www2.uol.com.br

NADO SINCRONIZADO

As origens da natação sincronizada passam pelo casamento do esporte com o cinema. Durantes as décadas de 40 e 50, a nadadora Esther Williams popularizou a modalidade ao estrelar filmes musicais para os estúdios MGM. O estilo fora desenvolvido por Katherine Curtis, que se baseara nas acrobacias aquáticas da australiana Annette Kellermen.

A natação sincronizada começou a ser disputada oficialmente em 1953. Dois anos depois, integrou pela primeira vez o programa dos Jogos Pan-Americanos.

No Brasil

Mito da natação brasileira, Maria Lenk introduziu a natação sincronizada no país em 1943, com uma mostra de balé aquático. Em 1958, foi realizado o Campeonato Carioca, primeira competição oficial no Brasil. Em 63, oito brasileiras participaram dos Jogos Pan-Americanos de São Paulo.

Regras

Há dois tipos de prova, em duetos ou equipes de oito. Em ambas, as atletas têm uma série técnica e outra de movimentação livre para exibir a coreografia acompanhando a música para os julgadores.

Nado Sincronizado

Criatividade e beleza

O nado sincronizado era coisa de cinema antes de virar modalidade olímpica. A partir dos shows aquáticos com acrobacias apresentados nos EUA no começo do século XX pela nadadora australiana Annette Kellerman, a modalidade foi desenvolvida por Katherine Curtis ao associar figuras feitas na água por corpos de nadadoras com acompanhamentos de músicas e chegou aos filmes musicais do estúdio MGM estrelados nas décadas de 40 e 50 por Esther Williams.

Após uma apresentação dos alunos de Katherine Curtis na Feira Século do Progresso, realizada na cidade americana de Chicago em 1933 e 1934, o nadador olímpico Norman Ross cunhou o termo “nado sincronizado”.

O seu formato atual foi desenvolvido na mesma época pelo estudante americano Frank Havlicek.

É um dos poucos esportes que apenas as mulheres participam.

Elas podem competir sozinhas, em duplas ou em times de oito, fazendo figuras obrigatórias e livres numa piscina e avaliados na técnica e na criatividade por jurados.

Fonte: pan2007.globo.com

NADO SINCRONIZADO

O nado sincronizado é um dos dois esportes olímpicos exclusivos para mulheres -o outro é o softbol- e surgiu como espetáculo em 1890. Na época, apresentações de “natação ornamental” eram comuns em países europeus e no Canadá. Mas o grande impulso veio a partir de 1907, com as apresentações da australiana Annette Kellerman em vários países, inclusive nos Estados Unidos.

Foi quando os norte-americanos desenvolveram a arte, acrescentando música às apresentações. Com o tempo, as coreografias passaram a se sincronizar com o ritmo, como em uma dança. Até os anos 30, diversas universidades do país já tinham grupos de balé aquático e faziam espetáculos para públicos cada vez mais numerosos. Em 1939, Frank Havlicek sugeriu que se criasse uma competição entre essas equipes. Regras foram definidas e, em 1940, o nado sincronizado já era considerado esporte, mas a primeira competição de abrangência nacional só foi organizada em 1946.

Nos anos 50, o Canadá também já praticava largamente a modalidade. Essa tradição era tão forte que, até a década de 90 os dois vizinhos da América do Norte monopolizavam os principais torneios mundiais. Em 1954, a Fina (Federação Internacional de Esportes Aquáticos) reconheceu o nado sincronizado como uma disciplina da natação. No ano seguinte era disputado o primeiro torneio internacional, os Jogos Pan-Americanos da Cidade do México. Em Jogos Olímpicos, a estréia só ocorreu em 1984.

Regras

Os parâmetros para as duas categorias -dueto e equipe- são similares. Para cada apresentação são dados dois tipos de nota: técnica, com 60% de peso no total e que considera qualidade da execução, sincronia e nível de dificuldade, e artística, que valoriza coreografia, interpretação musical e criatividade.

A piscina tem 3 m de profundidade, medidas mínimas de 12x12 m e temperatura da água entre 25 e 27ºC. As atletas devem ter grande capacidade pulmonar, pois não podem respirar quando estiverem com a cabeça submersa. Em geral, valorizam-se mais as nadadoras altas, que têm mais facilidade de realizar movimentos de pernas e braços de grande amplitude.

Fonte: br.yahoo.com

© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie o seu site grátisWebnode